O Evento

07 a 09 de Outubro de 2020


O Congresso Brasileiro de Inovação e Tecnologia na Gastronomia e Ciência de Alimentos tem como objetivo a troca de experiência entre pesquisadores, professores, estudantes e profissionais da Gastronomia e áreas afins, o que facilita a divulgação do conhecimento gerado de matérias primas existentes no país, caracterização de alimentos nativos e típicos, bem como desenvolvimento de diferentes aplicações desses insumos, investigação da tecnologia tradicional e novos métodos e técnicas de preparo culinário, tendo em vista melhorar a qualidade dos alimentos, promover o conhecimento e o registro da cultura gastronômica do nosso país, principalmente no que se refere às inovações e tecnologias aplicadas aos alimentos tradicionais. Promover-se-á o desenvolvimento regional, mediante uma articulação entre academia e sociedade, possibilitando a transmissão e apropriação real de saberes multirreferenciais. O evento proposto discutirá, todos esses pontos, estimulando o debate e a difusão de conhecimento, procurando interferir na integração de produtos e de técnicas utilizadas durante a preparação e/ou elaboração de alimentos tradicionais e regionais.


MESTRADO ACADÊMICO EM GASTRONOMIA


A UFC TEM O PRIMEIRO MESTRADO EM GASTRONOMIA DO BRASIL

A universidade Federal do Ceará – UFC, aprovou junto ao MEC, a criação do primeiro Mestrado Acadêmico em Gastronomia do Brasil, com previsão de início em 2021, o mesmo terá 2 linhas de pesquisa: “Gastronomia Social e Sustentabilidade” e “Tecnologia e Inovação Gastronômica”. A primeira deve abrigar projetos que explorem a gastronomia no contexto social e cultural, com vistas ao empreendedorismo e à interlocução com políticas públicas. Já a Linha 2, será direcionada a projetos relacionados ao conhecimento técnico-científico, a matérias-primas e ao desenvolvimento de métodos e técnicas de preparo culinário, bem como aos aspectos nutricionais, químicos, funcionais, sensoriais e culturais dos alimentos.

A criação do Mestrado em Gastronomia, contou com o apoio do Curso de Gastronomia da UFC, o qual contou com nota máxima na avaliação do MEC, ambos coordenam a realização do CBG 2020.

Entidades promotoras / Participantes


- Bacharelado em Gastronomia, Instituto de Cultura e Arte, Universidade Federal do Ceará – UFC
(Instituição Promotora)
- Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará – UFC
(Instituição Co-participante)
- Mestrado Acadêmico em Gastronomia, Universidade Federal do Ceará – UFC
- Embrapa Agroindústria Tropical, Centro Nacional de Pesquisa Agroindústria Tropical – CNPAT/EMBRAPA
(Instituição Co-participante)
- Curso de Bacharelado em Gastronomia da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
(Instituição Co-participante)
- Curso de Bacharelado em Gastronomia da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
(Instituição Co-participante)
- Curso de Bacharelado em Gastronomia da Universidade Federal da Bahia - UFBA
(Instituição Co-participante)
- Curso de Bacharelado em Gastronomia da Universidade Federal da Paraíba - UFPB
(Instituição Co-participante)
- Curso de Gastronomia da Universidade Federal de Ciência da Saúde de Porto Alegre - UFCSPA.
(Instituição Co-participante)
- Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco;

Coordenador do Evento


Prof. Dr. Paulo Henrique Machado de Sousa

Professor do Curso de Gastronomia do Instituto de Cultura e Arte, Universidade Federal do Ceará – UFC
Professor do Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos,
Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq

Comissão Organizadora


- Cláudia Soares, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Diana Valesca Carvalho, Universidade Federal do Ceará;
- Eveline de Alencar Costa, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Selene Daiha Benevides, Embrapa Agroindústria Tropical;
- Paulo Henrique Machado de Sousa, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Rafael Queiroz Gurgel do Amaral, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Sandro Thomaz Gouveia, Universidade Federal do Ceará – UFC.

Comissão Científica (Temas e Palestras)


- Adriana Camurça Pontes Siqueira, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Ana Erbênia Pereira Mendes, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Diana Valesca Carvalho, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Geraldo Arraes Maia, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- José Arimatéa Barros Bezerra, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Neide Kazue Sakugawa Shinohara, Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE;
- Paulina Mata, Universidade Nova de Lisboa - UNL;
- Paulo Henrique Machado de Sousa, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Raimundo Wilane de Figueiredo, Universidade Federal do Ceará – UFC.

Comissão de avaliação e apresentação de trabalhos científicos (Banner, Oral. Livro, Revistas)


- Adriana Camurça Pontes Siqueira, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Alessandra Pinheiro Góes Carneiro, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Ana Erbênia Pereira Mendes, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Amanda Rodrigues Leal, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Ceci Santiago, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Diana Valesca Carvalho, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Eveline de Alencar Costa, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Hermano José Maia, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Ingrid Conceição Dantas Guerra – UFPB;
- Ivan Burztyn, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Juliana Damaris Candido de Lima, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Juliana Nascimento da Costa, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Karla Tonini, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Luís Davi Alves Lima, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Mara Cnop, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Márcia Filgueiras Rebelo de Matos, Universidade Federal da Bahia – UFBA;
- Marcia Pimentel, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Márcio Marques, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Monica Chaves Abdala (INHIS - UFU)(PPGH - UFU);
- Nina Pinheiro Bittar, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Paula Albuquerque Pena Franca, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Polianny Gusmão, Faculdade Anísio Teixeira, FAT;
- Rafael Queiroz Gurgel do Amaral, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Robson Mota, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Sandro Thomaz Gouveia, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Selene Daiha Benevides, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa);
- Thaina Shawan, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ;
- Vanessa Moreira dos Santos; Doutoranda – UFBA.

Comissão de Oficinas Gastronômicas e Minicursos


- Luís Davi Alves Lima, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Leopoldo Gondin Neto, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Renata Matoso, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFC;
- Matusaíla Aragão Macedo, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Regina Maria Silva Bastos, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Renato Brasil, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Tereza Carlas Nóbrega Araújo Garcez, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Walison Fábio Rogério – UFBA.

Comissão de Apoio e divulgação


- Alessandra Pinheiro Góes Carneiro, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Ana Erbênia Pereira Mendes, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Matusaíla Aragão Macedo, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Tina Purcell, Faculdade Anísio Teixeira, FAT.

Comissão de Apoio ao Evento (Salas, Coffee break...)


- Regina Maria Silva Bastos, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Tereza Carlas Nóbrega Araújo Garcez, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Alessandra Pinheiro Góes Carneiro, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Rafael Queiroz Gurgel do Amaral, Universidade Federal do Ceará – UFC;
- Natália Viviane Santos de Menezes, Universidade Federal do Ceará – UFC.

Trabalhos Científicos


FORMA DE APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS APROVADOS

Para os participantes com trabalho científico aprovado no CBG 2020, a apresentação será por meio de vídeo gravado, abaixo enviamos algumas informações importantes para a elaboração.

O vídeo poderá ser das seguintes formas:
1. Por meio da apresentação de arquivos na tela do vídeo seguido de áudio do autor ( tipo Power point com áudio ou ferramenta similar );
2. Com banner impresso ao lado do autor onde o mesmo fara a apresentação oral do trabalho;
3. Será necessária a presença do autor no vídeo em algum momento da apresentação.

Os vídeos ficarão disponíveis para acesso de todos os participantes do evento em uma área exclusiva na plataforma de transmissão do CBG 2020.

INFORMAÇÕES PARA ENVIO DOS VIDEOS:

Formato: disposição horizontal em formato MP4
Tamanho máximo do arquivo: 500MB
Tempo: mínimo de 3min e máximo de 5min
Data limite para envio: 30/09/2020 as 23h59
E-mail para envio: cbg@ideiadeevento.com.br

OBS:
1. O arquivo do vídeo deverá ser nomeado com o título do trabalho;
2. Recomendamos que o vídeo seja gravado em local sem interferência de ruídos e com boa luminosidade;
3. Em caso de autor com mais de 1 trabalho, deverá ser 1 vídeo por trabalho.

Normas e Procedimentos para Elaboração e Envio de RESUMO EXPANDIDO


Os resumos expandidos serão publicados como capítulo no livro online do CBG 2020, o qual será disponibilizado para download gratuito no Portal ISSUU da Espaço Científico Livre.

Os melhores resumos expandidos serão selecionados para publicação completa no Journal of Environmental Analysis and progress (ISSN 2525-815X), caso seja interesse dos autores selecionados.

As línguas oficiais para elaboração dos resumos expandidos são o Português e o Inglês. Somente serão publicados os resumos expandidos aprovados pela Comissão Científica.

O Autor principal deverá estar previamente inscrito e com a inscrição paga no congresso. Cada autor inscrito poderá encaminhar dois trabalhos com no máximo 6 coautores.

Os resumos expandidos deverão ser encaminhados via sistema, impreterivelmente, até as 18h00 do dia 10/09/2020 (horário de Brasília), sendo de inteira responsabilidade as informações existentes no texto, que devem estar revisadas e referendadas de acordo com as normas do Comitê Científico do Congresso.

É importante que os resumos expandidos sejam cuidadosamente revisados antes do envio. Trabalhos que estiverem fora das normas serão excluídos automaticamente.

Todos os resumos submetidos serão avaliados pelo Comitê Ético e Científico do congresso, das diversas especialidades, em que se enquadram os trabalhos. Os trabalhos aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa deverão constar o número do parecer de aprovação.


ENCAMINHAMENTO DO RESUMO EXPANDIDO

Deverão ser submetidos pelo endereço www.inovacaonagastronomia.com.br, através do formulário eletrônico Online.


DATAS

Submissão de Resumos Expandidos: 10/09/2020
Resultados da Avaliação: 01/10/2020


ÁREAS

- Gastronomia e Ciência dos Alimentos;
- Segurança Alimentar e Nutricional;
- Turismo e Gastronomia;
- Gastronomia e Memória;
- Patrimônio e Gastronomia;
- Empreendedorismo e Gastronomia;
- Políticas públicas e Gastronomia;
- Gastronomia e Educação;
- História da Gastronomia;
- Outros.


STATUS DOS TRABALHOS

- Aprovado;
- Aprovado com correções;
- Reprovado.


ORGANIZAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO

1. O resumo expandido deverá ocupar, até duas laudas, incluindo Texto, Tabelas e/ou Figuras.

2. Os textos dos resumos expandidos devem ser organizados em: Título, Autores, Identificação dos autores, Introdução, Objetivos, Material e Métodos, Resultados e Discussão, Conclusões e Referências.

3. O texto deverá ser formatado para um tamanho de página A-4, com margens superior, inferior, esquerda e direita de 2,0 cm. Deve ser empregada fonte Time New Roman. O espaçamento entre as linhas deverá ser de simples (1,0).

4. As citações no texto devem ser numeradas consecutivamente na ordem em que são mencionadas no texto. Identificar as referências no texto por números arábicos entre parênteses. Exemplo: (2), (7,9,16). As legendas das tabelas e figuras também devem ser numeradas com algarismos arábicos.

5. Citações de trabalhos extraídos de Resumos e Abstracts, publicações no prelo e comunicação pessoal não serão aceitas na elaboração do resumo expandido.

6. A nomenclatura científica deve ser citada segundo os critérios estabelecidos nos Códigos Internacionais em cada área. Unidades e medidas devem seguir o Sistema Internacional de Unidades.

7. TÍTULO: Fonte Time New Roman, somente as iniciais em letras maiúsculas, tamanho 12, em negrito, espaçamento simples, alinhamento centralizado com, no máximo, 20 palavras.

8. Após uma linha (espaços simples) do TÍTULO, deverão aparecer os NOMES DOS AUTORES, Fonte Time New Roman. Somente as iniciais em letras maiúsculas, tamanho 10. No máximo devem constar seis autores por trabalho. Devem constar o nome e último nome de cada um dos autores, separados por vírgula, com identificação numérica sobrescrita.

9. Indicar a titulação e a instituição a qual o autor pertence. Ao final deve ser colocado somente o e-mail do autor principal para fins de correspondência.

10. Devem ser inseridas de três a cinco PALAVRAS CHAVE, que não devem estar no título. Fonte Time New Roman tamanho 10.

11. Após a titulação, a página deverá ser dividida em duas colunas com 8 cm cada para o restante do trabalho, que deverá estar com Fonte Time New Roman tamanho 8.

12. INTRODUÇÃO: deve ser breve e com espaço simples (1,0). Justificar o problema estudado de forma clara, utilizando-se revisão de literatura. No último parágrafo deverão constar os objetivos do trabalho realizado.

13. MATERIAL E MÉTODOS: deve ser concisa, mas suficientemente clara, de modo que o leitor entenda e possa reproduzir os procedimentos utilizados. Deve conter as referências da metodologia de estudo e/ou análises laboratoriais empregadas.

14. RESULTADOS E DISCUSSÃO: deve apresentar informações claras e concisas das observações relevantes que, conforme a natureza do trabalho, deverá apresentar a análise estatística. A discussão deve estar baseada e comparada com a literatura utilizada no trabalho de pesquisa, indicando sua relevância, vantagens e possíveis limitações. O conteúdo deve ser informativo e, pode ser apresentado na forma de Tabelas e/ou Figuras. Nesse caso, as Figuras ou outras ilustrações devem ser autoexplicativas assim como elaboradas de forma a apresentar qualidade necessária à boa reprodução.

15. As Tabelas e/ou Figuras (gráficos e desenhos) devem ser inseridas no texto e numeradas com algarismos arábicos com título fixado acima das mesmas. Não apresentar os mesmos dados na forma de Figuras e Tabelas.

16. CONCLUSÕES: deve ser elaborada com o verbo no presente do indicativo, em frases curtas, sem comentários adicionais, e com base nos objetivos e resultados do Resumo Expandido.

17. REFERÊNCIAS: devem ser listados apenas os trabalhos mencionados no texto, na ordem em que são mencionados no texto. Dois ou mais autores, separar por ponto e vírgula. Os títulos dos periódicos devem ser abreviados.



Exemplos de Referências:

Exemplos de referências



Livro
BEZERRA, J. A. B. Alimentos tradicionais do Nordeste: Ceará e Piauí. 1. ed. Fortaleza: Edições UFC, 2014. v. 1. 119p.

Capítulo de livro
PEREIRA, C.P.; SOUSA, P.H.M.; MAIA, C.S.C.; FIGUEIREDO, R.W.; LIMA, A.C.S. Avaliação do método de cocção mais eficiente para retenção de polifenóis totais e antioxidantes de beterraba (Beta vulgaris L.). In: Emmanuel Prata de Souza; Francisca Noélia Pereira Mendes; Maria Marlene Marques Ávila. (Org.). Ciência da nutrição e campos multidisciplinares de saberes. 1ed. Fortaleza: Ed UECE, 2015, v. 1, p. 95-119.

Artigo de periódico
COSTA, P. R.; SIQUEIRA, A. C. P.; SOUSA, P. H. M. Efeito do procedimento culinário e conservação por congelamento em tomates (Lycopersicum esculentum). Arq. Bras. Alim. 1, 30-42, 2015.

Tese e Dissertação
ARAUJO, R. V. Os saberes gastronômicos e a formação de chefes: o itinerário acadêmico-profissional de gastrônomos que atuam em Fortaleza-CE. 2013. 82f. Dissertação (Mestrado em Educação Brasileira) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

Trabalhos em meio-eletrônico
SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In:
SÃO PAULO (Estado). Entendendo o meio ambiente. São Paulo, 1999. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 1999.

Legislação
BRASIL. Portaria nº. 451, de 19 de setembro de 1997. Princípios gerais para o estabelecimento de critérios e padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 set. 1997. Seção 1, n. 182, p. 21005-21011.

PROGRAMAÇÃO

10:00– 12:00: Mini-curso 2 – Pão de Fermentação Natural
Facilitador: Papoula Ribeiro, Cór Bakehouse (@papoula_ribeiro)

10:00– 12:00: Mini-curso 3 – Fermentação lática de vegetais
Facilitadores: Leonardo Andrade e Fernando Gondenstein – Cia dos Fermentados (@ciadosfermentados)

( As inscrições dos mini-cursos são a parte do Congresso )

14:00 - Palestra de Abertura: Restaurante Lixo Zero
Palestrante: Luiza Poleto, Instituto Lixo Zero
Coordenador: Paulo Henrique Machado de Sousa (UFC)

14:30 - Mesa Redonda 1: Educação, Pesquisa e Extensão na Gastronomia
Coordenadora: Ceci Santiago, UFRJ
Participantes:
As novas nuances da formação e educação em gastronomia, o papel da tecnologia, Beatriz Helena Brandão – IFCE Baturité,
Gastronomia e pesquisa para além da sala de aula, Claudia Soares – UFRJ.
A importância da extensão universitária na formação profissional do gastrônomo, Walison Fábio Rogério, UFBA.

16:00 – Mesa Redonda 2: Da Uva ao Vinho: Aspectos históricos até produção dos dias atuais
Coordenador: Renato Brasil, Sommelier, Unichristus.
Participantes:
Edegar Scortegagna, ConceptWine – Escola de vinhos.
Virgílio Loureiro, Universidade de Lisboa
Manuel Malfeiro, Universidade de Lisboa

17:30 – Intervalo

18:00 - Mesa Redonda 3: Fazendo Ciência na Gastronomia
Coordenador: Sandro Thomaz Gouveia,UFC
Participantes:
Patentes e registros de produtos em Gastronomia, Frederico Massud Conde – INPI, DF
Natchup, patente da universidade para o mercado, Lucicléia Barros
Mestrado Acadêmico em Gastronomia do Brasil: perspectivas e desafios na área de gastronomia, Paulo H M Sousa, Coordenador d Pragrama de Pós-graduação em Gastronomia, UFC.

Embrapa Alimentos e Territórios: Conexão História, Biodiversidade e Gastronomia, Ricardo Elesbão, Embrapa Alimentos e Territórios.

8:00 – 10:00 – Mini-curso 4 – Food Design
Facilitador: Robério Marques, SENAC –CE

10:00 – 12:00 – Mini-curso 5 – Chá: da produção à harmonização e uso em preparo de pratos
Facilitadores:
Aline Loiola, Tea Sommelier, UK Tea Accademy, Fortaleza, Brasil.
Rafael Gurgel, Curso de Gastronomia, Universidade Federal do Ceará

10:00 – 12:00 – Mini-curso 6: Pães, pizzas e pastéis sem glúten, leite e ovos
Facilitador: Renata Bender Monteiro, PUCRS

( As inscrições dos mini-cursos são aparte do Congresso )

13:30 - Mesa Redonda 4: Gastronomia regional: ação social e políticas públicas
Coordenador: Dra. Eveline de Alencar Costa (UFC)
Participantes:
Roberto Araújo, IFCE, Observatório da Ciência e cultura alimentar – OCCA
João Lima – CE, Assessor Especial para Gastronomia do Governo do Estado do Ceará
Turismo e gastronomia: A gastronomia como potencial turístico, cultural e regional, Uiara Martins – CE
Gastronomia local e valorização cultural de insumos regionais, Michel Abras – MG

15:00 – Palestra: História e Alimentação Brasil séculos XVI-XXI
Coordenação: José Arimatéa Bezerra
Leila Mezan Algranti, UNICAMP
Sidiana Da Consolacao Ferreira De Macedo, UFPA

16: 00 - Mesa Redonda 5: Educação On-line e EaD na Gastronomia
Coordenador: Mattu Macedo, UFC, CE
Participantes:
Eduardo Lima, CEO da Eduk
Felipe Cicconato, Eduk
Heloisa Fonseca, UNINASSAU
Bruno Pontes, UNIQ

17:30 - Intervalo

18:00 - Mesa Redonda 6: Laboratório de Criação em Cultura Alimentar e Gastronomia da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco
Coordenadora: Lina Luz, Coordenação de Cultura Alimentar e Gastronomia, Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, Ceará.
1•Edição:
- Janderson Lima Pinheiro. Projeto: Pão com levain de coco
- Rafaela Medeiros: "melaço e coco: fortalecimento de uma doçaria cearense."
2• Edição:
-Fernanda Clara Moreira Soares. Projeto: Queijo Vegetal fermentado de castanha de caju.
- Vicente Monteiro da Silva Filho. Cerveja com Cultura da Caatinga Cearense. (Título alternativo: Micro-organismos na fabricação de cerveja do bioma Caatinga).
-Mateus de Castro Ferreira. Projeto: Batiputá: o óleo sagrado que alimenta e cura, saberes e sabores do povo indígena Tremembé da Barra do Mundaú.
- Iury de Melo: Fish Maria! A gastronomia como ferramenta para valorização da pesca artesanal no Ceará.
- Marina Ximenes Antonacio. Projeto: Cozinhas para adiar o fim do mundo

8:00 – 10:00: Mini-curso 1 – Fundamentos do vinho: da vinha à taça
Facilitador: MSc. Renato Brasil, Docente Unichristus, Sommelier e Diretor ABS, Colunista do Jornal O Povo (@renatobrasilsommelier)

8:00 – 10:00: Mini-curso 7 – O Papel da Fotografia na Gastronomia
Facilitador: Robson Mota, Curso de Gastronomia, Universidade Federal do Ceará

10:00– 12:00: Mini-curso 8 – Queijos veganos
Facilitador: Virgínia Cândido, VIVEG (@virginiacandida)

10:00– 12:00: Mini-curso 9 – Planejamento de Custos em Gastronomia
Fábio de Lucca
Facilitador: Fábio de Lucca, UNIFAMETRO

14:00 - Mesa Redonda 7: Conhecimentos tradicionais como alternativa aos modos de alimentação modernas
Coordenador: Rafael Queiroz Gurgel do Amaral (UFC)
Participantes:
Alimentos Fermentados, Leonardo Andrade e Fernando Gondenstein – Cia dos Fermentados (@ciadosfermentados)
Alimentos Fermentados, Catarina Prista, Universidade de Lisboa, Portugal.
Plant based, Paulina Mata – Portugal
Algas marinhas para alimentação humana, Bruno Leite, Universidade Nova de Lisboa, Portugal.
Confeitaria para alérgicos, Renata Bender Monteiro, PUCRS.

16:00 – Mesa Redonda 8: Sabores da Biodiversidade Brasileira
Coordenadora: Daniela Moura de Oliveira Beltrame, BFN
Participantes:
Adriana Camurça Pontes Siqueira
Juliana Machado Severo, UFRGS
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Semiramires Martins Álvares Domene, UNIFESP
Raquel Santiago, UFG.
Joanna Martins, Instituto Paulo Martins, PA
Lidio Coradin, Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal

18:00 - Mesa Redonda 9: Negócios Gastronômicos
Coordenador: Vanessa Santos, Senac, CE
Palestrantes:
Marcelo Traldi, Autor do livro Tecnologias Gerenciais para Bares e Restaurantes;
Teresa Corção, Ecochefs e o Instituto Mani.
Erli Keiko Nishio, Revisora técnica dos cursos de EAD do Senac São Paulo.

19:00 - Palestra de Encerramento: Gastronomia, memória gastronômica e sentimento
Coordenadora: Diana Valesca Carvalho (UFC)
Palestrante: Myriam Melchior (UFRJ)

CONHEÇA NOSSOS CONVIDADOS

ADRIANA CAMURÇA PONTES SIQUEIRA


Possui graduação em Nutrição pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1992), mestrado em Ciência da Nutrição (1998) e doutorado em Alimentos e Nutrição (2009), ambos pela Faculdade de Engenharia de Alimentos FEA-UNICAMP. Atualmente é professora da Universidade Federal do Ceará - UFC. Desenvolve pesquisas nos temas: biodiversidade alimentar, nutrição, planejamento e consumo alimentar, atitude do consumidor, educação alimentar e nutricional, gastronomia, dietoterapia, nutrição esportiva e ciência e tecnologia de alimentos.

ALINE LOIOLA


É Tea Sommelier pela UK Tea Academy, também graduada pelo El Club del Té, Escola de Chá Embahú e World Tea Academy. É a idealizadora da Arteasanal Teas & Blend, empresa que promove a cultura do Chá através de Cursos, Workshops e fornecimento de Chás para cafeterias, restaurantes e pessoas que estão descobrindo este incrível mundo dos Chás.

BEATRIZ BRANDÃO


Doutora em Educação Brasileira pela FACED/UFC, Bacharel em Gastronomia e Bacharel em Direito pela UFC. Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. Autora de 2 livros: Saber Gastronômico: itinerários curriculares na Universidade Federal Ceará e Narrativas e Memórias Gustativas: traduções de brasileiros e estrangeiros sobre comida e cultura alimentar.

BRUNO LEITE


Formado em Economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio, Brasil), Gastronomia e Culinária pela Universidade Estácio de Sá (RJ, Brasil). Fez especialização em Cozinha Francesa Regional e de Bistrot pela Alain Ducasse Formation (ADF) e Mestrado em Ciências Gastronómicas pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT-UNL) e Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa (ISA-UL). Além de trabalhar em vários estabelecimentos, foi proprietário de restaurante por dois anos e meio. Já soma mais de 16 anos de carreira na área de gastronomia. Atualmente está a escrever a tese com o título “Ficogastronomia” no contexto do programa doutoral em Ciências dos Alimentos (FCT/UNL). É ainda colaborador do Mestrado em Ciências Gastronómicas (FCT/UNL) e investigador no projeto Alga4Food - Desenvolvimento de técnicas inovadoras de conservação e utilização. Sua área de pesquisa engloba temas diversos tais como algas marinhas na alimentação humana, desenvolvimento de novos produtos e gastronomia molecular.

BRUNO PONTES


Doutor e Mestre em Teologia e Ciências da Educação; Especialista em Educação, Desenvolvimento e Políticas Educativas; Ética, Educação e Subjetividade; Teólogo, Sociólogo e Pedagogo; Avaliador do INEP/MEC do sistema BASis e Elaborador de itens do ENADE; Relator de Parecerista da Nova BNCC em Ensino Religioso (EF) e Filosofia (EM) no Estado da Paraíba; Diretor Acadêmico da UNIQ – Faculdade de Quixeramobim CE.

CATARINA PRISTA


É Professora Auxiliar na Universidade de Lisboa, onde lecciona Microbiologia Funcional e Alimentos Fermentados. É também sócia da CookingLab, uma empresa que se dedica às Ciências Gastronómicas e ao desenvolvimento de novos produtos alimentares. Catarina Prista doutorou-se no ISA em Engenharia Agro-industrial, desenvolvendo a sua atividade de investigação no Centro de Investigação LEAF - Grupo Eco-Novel Food and Feed, no Instituto Superior de Agronomia/Universidade de Lisboa, em vários aspetos do funcionamento de leveduras que fermentam e produzem alimentos. Já mais recentemente, ligada ao Mestrado em Ciências Gastronómicas, interessou-se pelos diversos alimentos fermentados produzidos no mundo, juntando ao trabalho de investigação em leveduras, trabalhos envolvendo o papel dos bolores e das bactérias na produção destes alimentos. Em particular, os seus temas de interesse centram-se no desenvolvimento/produção de alimentos e bebidas fermentadas a partir de matérias primas pouco exploradas e sub-produtos da indústria alimentar com vista à criação de alimentos inovadores mais nutritivos, seguros e com benefícios para a saúde. Tem participado e liderado vários projetos de investigação na área dos alimentos fermentados e orientado vários alunos de mestrado e doutoramento e de pos-doutoramento. Publicou mais de 50 artigos científicos em revistas internacionais e apresentou as suas áreas de investigação em mais de 100 comunicações em congressos nacionais e internacionais. Para além disso, tem organizado e leccionado cursos de introdução e divulgação dos alimentos fermentados onde dá a conhecer e ensina a produzir alguns destes alimentos.

CECI SANTIAGO


Graduada em Nutrição pela UFPE, Mestre em Avaliação pela Fundação Cesgranrio e Doutoranda em Educação pela Universidade Lusófona em Lisboa. Experiência de atuação nas áreas operacional, controle de qualidade e implantação de processos para controle de gestão e redução de custos operacionais em unidades de negócios. Docente e Coordenadora Acadêmica do curso de Gastronomia da UFRJ

CLÁUDIA SOARES


Professora do curso de graduação bacharelado em Gastronomia na UFRJ e doutoranda em Educação e Ciências.

DANIELA BELTRAME


Nutricionista pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), Mestre e Doutora pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP). Atuou como Coordenadora Nacional do projeto "Biodiversidade para a Alimentação e Nutrição (BFN)", executado no Brasil pelo Ministério do Meio Ambiente, colaborando com a implementação das atividades do BFN no país. Liderou a parceria do projeto com universidades e agências nacionais de pesquisa para determinar a composição nutricional das espécies-alvo e desenvolver um banco de dados de composição nutricional e receitas para espécies alimentícias da biodiversidade Brasileira.

DIANA VALESCA CARVALHO


Doutora em Biotecnologia pela Rede Nordeste de Biotecnologia (2018). Mestrado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidade Federal do Ceará (2002). Graduada em Ciências da Nutrição pela Universidade Estadual do Ceará (1998). Atualmente é professora Adjunto II da Universidade Federal do Ceará, vice-coordenadora do curso de bacharelado em Gastronomia da UFC. Pesquisa na área de nutrição e ciência dos alimentos com ênfase no estudo experimental de fibra alimentar na obesidade e síndrome metabólica. Atua nos temas: educação alimentar e nutricional na promoção da saúde e dietoterapia.

EDEGAR SCORTEGAGNA


Brasileiro, Enólogo formado pela Universitá degli Studi di Trento – Instituto di San Michele All´Adige e Universitá degli Studi di Udine na Itália onde passou 5 anos estudando e colaborando com grandes vinícolas italianas. Tem MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Desde 2009 é o Enólogo responsável pelos vinhos da Luiz Argenta Vinhos Finos, Ex Presidente da Associação Brasileira de Enologia 2017/2018 (ABE) e agora Diretor membro do Conselho, Sócio fundador e professor da ConceptWine – Escola de vinhos. Desde 2018 é professor da ESPM – Porto Alegre e foi por 10 anos professor de enologia dos cursos Sommelier e Juiz internacional da Universidade de Caxias do Sul.

EDUARDO LIMA


É engenheiro de formação e, após 10 anos trabalhando nas indústrias de mineração e siderurgia, em 2007 se lança como empreendedor em negócios de tecnologia e internet. Em 2013 fundou a eduK, com a missão de capacitar pequenos empreendedores e ajudá-los a alcançar o sucesso. A eduK é hoje uma das principais startups de educação da América Latina, tendo sido reconhecida pela Fast Company em 2016 como a empresa brasileira mais inovadora da América Latina.

EVELINE DE ALENCAR COSTA


Professora do Mestrado e do Bacharelado em Gastronomia da UFC, Doutora e Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos e Coordenadora do Programa de EXtensão Gastronomia Social no Jardim da Gente. Vice Coordenadora do CECANE CE e Conselheira do CONSEA CE.

FÁBIO DE LUCCA


Nascido no Paraná, está no Ceará desde 2002. Professor e coordenador acadêmico do curso de Gastronomia da Unifametro, Gerente Geral do Restaurante Bangs, Proprietário da De Lucca Consultoria Gastronômica. Formado em Administração pela FESP / Paraná, com especializações em Gastronomia pela Unifanor / Fortaleza e em Gestão de Restaurante pela HU University / Illinois, Mestre em Controladoria pela Universidade Federal do Ceará. Sommelier Internacional pela Federazione Internazionale de Sommelier Albergatori Ristorantori. Barista pela Café Company. Implantador de ISO 22.000 pela BRTUV. Atua no mercado Gastronômico desde 1988, tendo passado por empresas como McDonalds e Beach Park. Professor de Gastronomia desde 2011, tendo lecionado na Unifanor, UFC, Unifametro, SENAC, IGA, EGSIDB, entre outras. Apresentador dos programas Papo na Panela e Cozinha da Gente, no canal 25.1 de Fortaleza nos anos de 2018 e 2019. Como consultor, atuou em mais de 150 restaurantes no Ceará, Maranhão e Piauí.

FELIPE CICCONATO


Formado em Gastronomia pelo Instituto das Americas e especialização em confeitaria na Escola de Confeitaria Diego Lozano. Foi Chef Professor da Escola de Confeitaria Diego Lozano ( 2014 á 2017 ), Head Chef da Sablé Diamant (2017 á 2019) e Head Chef Patissier Hotel Gran Marquise e Nüsse Special Nuts (atual). É Professor da pós graduação em Gastronomia - UniFanor e Chocolate Academy SP e Chef Consultor de Criação (São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Fortaleza, Florida USA, Bahia, Rio Grande Do Sul e Pernambuco) Parcerias: Callebaut Chocolate, GranChef Corantes, Mec3 pastas saborizantes, Porto Fomas.

FERNANDA CLARA MOREIRA SOARES


É bacharel em Gastronomia pela Universidade Federal do Ceará. Na graduação, desenvolveu pesquisas junto à Embrapa Agroindústria Tropical, Laboratório de Microbiologia de Alimentos e Laboratório de Frutos e Hortaliças da Universidade Federal do Ceará. Em 2019, foi selecionada para a 2a edição do Laboratório de Criação em Cultura Alimentar e Gastronomia da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, instituição do Governo do Estado do Ceará. Atua em pesquisas nas áreas de desenvolvimento de produtos de origem vegetal, Química Culinária, Gastronomia Molecular, Métodos e Técnicas de Conservação de Alimentos, Microbiologia de Alimentos e Análise Sensorial de alimentos. Em 2020, funda a Qaju Fermentados Vegetais, empresa voltada ao desenvolvimento de produtos vegetais tipo laticínios. Promove a divulgação da ciência na cozinha por meio de blog pessoal intitulado Chef Geek na rede social Instagram.

FERNANDO GONDENSTEIN


Bacharel em física e mestre em biofísica (ambos pela USP), lecionou física, epistemologia da ciência e metodologia de pesquisa em escolas e universidades e trabalhou também no mundo corporativo antes de fundar a Companhia dos Fermentados, uma indústria de Comidas e Bebidas que faz o resgate de técnicas antigas de produção de alimentos de forma artesanal e natural. É fundador e professor da Escola Fermentar e, que conta com mais de 18 cursos sobre os mais variados assuntos relacionados com o tema e ministra cursos por todo o Brasil nos SESCs,SENACs, escolas, restaurantes, indústrias e universidades de gastronomia, além do próprio espaço em são Paulo.

FREDERICO MASSAUD CONDE


Graduado em Engenharia de Alimentos e Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Experiência em Supervisão de Produção e Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos – Chocolates Garoto S.A.(2004-2007); Desenvolvimento de Produtos – Divino Sapori Indústrias Alimentícias LTDA (2009); Desenvolvimento de Produtos e Embalagens, coordenação e gestão de programas de qualidade, atuação em processos produtivos, de utilidades e tecnológicos, projetos de montagem industrial, gestão de meio ambiente e seleção de máquinas e equipamentos para laticínios – Cooperativa Regional Agropecuária de Macuco LTDA (2010-2016); Atualmente, Pesquisador em Propriedade Industrial na divisão de Agricultura e Elementos de Engenharia (DIPAT VI/DIPAE), no Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI (2016-).

HELOISA FONSECA


Graduada em Turismo pela Universidade de Fortaleza (1993), Especialista em Administração Hoteleira pela Universidade Federal de Juiz de Fora e Senac Barbacena (1994) com Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Alagoas (2005) - PRODEMA. Especialista em Docência e Gestão do Ensino Superior, Fanor (2012). Membro da Comissão de Avaliadores dos Cursos Superiores do Ministério da Educação. Membro de equipes técnicas e comissões de estruturação e reestruturação de cursos nas áreas de turismo e hotelaria. Consultora e facilitadora em treinamentos na área de Turismo e Hospitalidade. Credenciada ao Sebrae/CE em Consultoria e Instrutoria. Consultora do Selo de Qualidade em Serviços do Sebrae/CE. Parecerista do Guia do Estudante da Editora Abril. Gestora de cursos superiores de graduação e tecnologia em gastronomia e turismo.

IURY DE MELO


Cearense de Fortaleza, 33, é cozinheiro profissional desde 2011 e atuou em diferentes restaurantes de Fortaleza, tendo passado uma temporada no País Basco espanhol. Especialista em negócios em gastronomia e em docência no ensino superior, atualmente é professor de gastronomia em faculdades de Fortaleza e mestrando em Ciência e Tecnologia de Alimentos na Universidade Federal do Ceará (UFC). Graduado em Engenharia de Pesca pela UFC, se viu motivado pela relação entre sua formação acadêmica e seu ofício profissional a idealizar o projeto Fish Maria! que tem por objetivo investigar as relações entre cultura alimentar, gastronomia e pesca artesanal no Ceará. O projeto fez parte da segunda edição do Laboratório de Criação em Cultura Alimentar e Gastronomia promovido pela Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco e trouxe a temática principal de valorização da pesca artesanal cearense por meio da gastronomia.

JANDERSON LIMA PINHEIRO


Janderson Pinheiro é Bacharel em Gastronomia pela Universidade Federal do Ceará, pós-graduando em Docência do Ensino Superior, pesquisador na área de alimentação, padeiro e cozinheiro, com diversos cursos de aperfeiçoamento na área da Gastronomia.

JOANNA MARTINS


É paraense, mãe, publicitária, administradora e pesquisadora em gastronomia amazônica. Movida por uma história familiar de quase 50 anos com a culinária amazônica e por sua paixão pelo território, depois de algumas outras experiências empreendedoras, em 2015, fundou e é CEO da Manioca(@maniocabrasil), uma pequena indústria de impacto socio-ambiental, instalada em Belém/PA, que transforma ingredientes da Amazônia em alimentos naturais, práticos, saudáveis, inovadores e saborosos, dialogando com a cultura local e sua biodiversidade, a partir do comércio justo e do desenvolvimento de cadeias produtivas.

JOÃO LIMA


Arquiteto pela UFC e chef de cozinha. Assessor Especial para Gastronomia do Governo do Estado, Presidente da Câmara da Gastronomia do Ceará, Vice presidente da Associação de Chefs do Ceará, Membro dos comitês de Gestão da Escola de Gastronomia Social Ivens dias Branco e do Programa de combate à insegurança alimentar e ao desperdício de Alimentos – Mais Nutrição. Chef e coordenador de cozinhas do projeto Auê do amor.

JOSÉ ARIMATÉIA BEZERRA


Possui graduação em Pedagogia, especialização em Educação Popular em Saúde, doutorado em Educação Brasileira e pós-doutorado em História. Atualmente é professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Educação e Alimentação, atuando no ensino das seguintes disciplinas: política educacional, gestão educacional, antropologia e história da alimentação. Realiza pesquisas sobre as temáticas: políticas públicas de alimentação e nutrição; educação, alimentação e cultura; educação alimentar e nutricional; agricultura familiar; alimentos tradicionais do Nordeste. Membro do Comitê de Ética em Pesquisa da Academia Cearense de Odontologia. Coordenador de Gestão do Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) UFC / Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

JULIANA MACHADO SEVERO


Turismóloga com extensão em Gastronomia pelo ICIF/UCS (Italian Culinary Institute for Foreigners). Estagiou e trabalhou com o chef Paulo Martins em Belém do Pará, considerado um dos ícones da gastronomia brasileira. Nessa ocasião, desenvolveu com receitas frutas nativas, pescados, farinhas e outros produtos amazônicos. Após este período, trabalhou com chefs renomados em São Paulo, conhecendo diversos tipos de cozinha e ingredientes. Ministrou aulas como professora convidada na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul no curso de nutrição, com a temática gastronomia e nutrição, e desde 2010, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, para o curso de Nutrição nas temáticas ervas e especiarias, cortes de vegetais, nas disciplinas de Técnica Dietética e Gastronomia aplicada à dietoterapia. Foi a chef responsável pelo desenvolvimento de receitas do projeto BFN – Biodiversity for Food and Nutrition na Região Sul, projeto desenvolvido na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no departamento de nutrição. Em sua pesquisa de mestrado, no programa de pós-graduação em desenvolvimento/PGDR na Universidade Federal do Rio Grande do Sul trabalhou com frutas nativas na alimentação escolar e no doutorado pesquisa a inserção de produtos da sociobiodiversidade na alimentação escolar.

LEILA MEZAN ALGRANTI


É professora titular aposentada de História do Brasil Colonial na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professora colaboradora no Programa de Pós Graduação em História na mesma Universidade. É autora de livros e artigos sobre sociedade e cultura na América Portuguesa, com ênfase nos estudos sobre a alimentação luso-brasileira.

LEONARDO ANDRADE


Sócio fundador da Companhia dos Fermentados e Fermentare Escola de Fermentação; Diretor de comunicação da ABKOM – Associação Brasileira de Kombucha; Bacharel em design gráfico e digital pelo Instituto Europeu di Design (IED – SP) e fotografia pela Escola Panamericana de São Paulo, trabalhou com programação web, fotografia e marketing digital durante 8 anos. Fundou sua primeira empresa de fotografia panorâmica aos 17 anos e a vendeu aos 23. Sempre foi apaixonado por experimentos na cozinha e desde pequeno fazia bolos e doces com suas avós, mas nunca havia pensado em exercer a cozinha como profissão. Pela vivência e paixão com os alimentos, ao conhecer Fernando embarcou na fermentação enxergando a técnica como forma de transformação e conservação dos alimentos e criou a Companhia dos Fermentados, uma indústria de alimentos e bebidas fermentadas. Com a experiência profissional que trouxe, criou o site, identidade visual, fotografias e o conceito da marca. Um ano após a fundação da indústria, criou a Fermentare Escola de Fermentação que tem como principal missão difundir e resgatar as técnicas de fermentação de alimentos e bebidas para o grande público de forma simples e eficiente. Atualmente leciona em instituições como SESC, SENAC, grupos de estudos e universidades privadas pelo Brasil. Há dois anos trabalha ativamente junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para escrita da padronização de identidade e qualidade (PIQ) do kombucha no Brasil e há um ano fundou a ABKOM (Associação Brasileira de Kombucha), ação que reúne produtores comerciais de Kombucha com o objetivo de unir a categoria e auxiliar os produtores nesse novo mercado.

LIDIO CORADIN


Coordenador Nacional da “Iniciativa Plantas para o Futuro”, para promoção do uso da biodiversidade nativa e valorização da sua conservação. Atuou (2012 a 2018) como Diretor Nacional do Projeto Biodiversidade para Alimentação e Nutrição (BFN). Pesquisador (1974 a 2009) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Conduziu (1978 a 1994) ações de pesquisa junto à Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Cenargen), onde ocupou (1987 a 1989) o cargo de Diretor de Pesquisas. Coordenou, durante 16 anos, as atividades de exploração botânica e coleta de recursos genéticos no âmbito do Cenargen, com atividades de coleta de recursos genéticos em todos os biomas brasileiros. Participou, como membro das delegações brasileiras, em todas as fases de negociação da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica (CDB), incluindo a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92). De 1994 a 2015 atuou no Ministério do Meio Ambiente como Gerente de Recursos Genéticos, em ações de promoção do uso sustentável de espécies de valor econômico, conservação in situ, on farm e ex situ, espécies exóticas invasoras e biossegurança. Representou o MMA nas negociações internacionais do Protocolo de Cartagena sobre Biossegurança e do Tratado Internacional de Recursos Fitogenéticos para a Alimentação e Agricultura (TIRFAA), no âmbito da FAO, incluindo ações para implementação desses acordos. Foi agraciado, em 1997, com o Grau de Oficial da Ordem do Rio Branco, Outorgado, pelo Senhor Presidente da República Federativa do Brasil.

LINA LUZ


Graduada em História pela Universiade Federal do Ceará, técnica em Gastronomia pela Escola de Hotelaria e Turismo de São Paulo. Especialista em Gestão Cultural pela Fundação Joaquim Nabuco e Universidade Federal da Bahia. Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará. Coodenadora de Cultura Alimentar na Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco/Instituto Dragão do Mar.

LUCICLÉIA BARROS


Possui graduação em Química Industrial pela Universidade Estadual da Paraíba (2000), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (2004) e doutorado em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba/ Université D'Avignon (2011). Tem experiência na área de Química, com ênfase em alimentos e compostos bioativos, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento de produtos, qualidade, composição, conservação e fisiologia pós-colheita de produtos vegetais e revestimentos biodegradáveis para alimentos. Coordena vários projetos de extensão relacionados a segurança alimentar, a agricultura familiar, suporte ao micro e pequenas empresas do setor agroalimentar. Atualmente é membro da Academia Cearense de Ciências, exerce o cargo de Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia dos Alimentos / UFC. Ministra na graduação as disciplinas de Aspectos Básicos do Processamento de Frutos Tropicais/ Matérias Primas de Origem Vegetal e Embalagens para Alimentos.

LUIZA POLETO


Engenheira Sanitarista e Ambiental formada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Consultora do Instituto Lixo Zero Brasil e Auditora para a Certificação Lixo Zero. Atuou para a Prefeitura Municipal de Chapecó/SC como Consultora do Programa Lixo Zero Chapecó em que foi educadora ambiental, mobilizadora social e consultora para as tomadas de decisão quanto à gestão e gerenciamento dos resíduos sólidos do município. Atuou como Mentora do Laboratório de Criação da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco de Fortaleza/CE no Projeto “Manual de Cozinhas Lixo Zero” em que, com a aplicação do gerenciamento Lixo Zero, conquistou o Selo Lixo Zero devido ao desvio de 74% de resíduos de aterro sanitário. Auditou a certificação do primeiro Quartel Lixo Zero do Brasil, a Polícia Militar Ambiental de Chapecó.

MANUEL MALFEITO FERREIRA


É Professor Auxiliar do Instituto Superior de Agronomia, Universidade de Lisboa, onde lecciona matérias de Microbiologia dos Vinhos, Vinhos e Gastronomia e Microbiologia Alimentar. A sua actividade de investigação está focada, essencialmente, na microbiologia de alteração de vinhos e estudos de preferência de vinhos pelo consumidor. É consultor na produção de vinhos em várias adegas portuguesas no Douro, Beiras e Alentejo. Organiza e lecciona cursos de introdução ao mundo dos vinhos onde apresenta, em conjunto com a iniciação à prova, uma perspectiva cultural e gastronómica necessária para entender os diferentes estilos de vinho a nível mundial.

MARCELO TRALDI


Graduado e Pós Graduado em Hotelaria, Mestre em Administração pela PUC-SP e aperfeiçoamento pela Florida International University EUA, em Planejamento e Desenvolvimento de Restaurantes e Gestão de Fast Food. Professor e Pesquisador do Centro Universitário SENAC-SP, há 22 anos. Foi Diretor de Operações da Sapore para a Vila dos Atletas alimentando todos os atletas e delegações durante as Olimpíadas e Paraolimpíadas Rio 2016, operando o maior restaurante do mundo. Autor do Livro Tecnologias Gerenciais de Restaurantes, com trabalhos publicados e apresentados em diversos países como EUA, Canadá, Itália, Alemanha, Portugal, México, Brasil, entre outros. Foi Editor da revista científica Contextos da Alimentação do Centro Universitário SENAC-SP, Consultor de diversos restaurantes, foodservice como Unilever, Sadia, Fleishmann, redes hoteleiras e de restaurantes tais como Hard Rock Cafe, Hooters Marriott, Pestana, Blue Tree, Caesar Park, Copacabana Palace, entre outras.

MARINA XIMENES ANTONACIO


Formada em Turismo e Hotelaria com MBA em Hospotalidade. Trabalha em restaurantes há 11 anos e busca resgatar o verdadeiro sentindo do restaurar. Alimenta corpo, alma e natureza com cuidado e respeito. Pesquisadora da segunda edição do Laboração de Criação em Gastronomia da EGSIDB.

MATEUS TREMEMBÉ


Agricultor, estudante de Agronomia - UNILAB, pesquisador dos saberes e sabores da Cultura Alimentar do povo indígena Tremembé da Barra do Mundaú e Coordenador do Ponto de Cultura Recanto dos encantados

MATTU MACÊDO


Doutora em Patrimônios Culturais Alimentares – Universidade de Coimbra –Pt; Mestra em Ciências Gastronômicas – Universidade Nova de Lisboa - 2018; Especialização em Arte Culinária Inovadora - Escola de Hotelaria do Estoril - Portugal - Pt 2018; Especialização em Gastronomia e Nutrição FATECE – cursando 2012; Graduada em Filosofia pela FAFIFOR Faculdade de Filosofia de Fortaleza; Graduada em Economia Doméstica – UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ.

MICHEL ABRAS


Mestre em Estudos Culturais Contemporâneos, Gastrólogo e Cozinheiro Profissional, tem como linha de trabalho e pesquisa as Panc (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Coordenador de A&B (Alimentos e Bebidas) do Senac Belo Horizonte. Responsável na condução do Restaurante Escola Senac BH desenvolve trabalho de resgate e a ressignificação do saber culinário das cidades e comunidades mineiras com base no Programa Primórdios da Cozinha Mineira trazendo a tona produtos e costumes ricos em tradição e cultura local. Sócio proprietário do Instituto Michel Abras, empresa que desenvolve trabalhos de pesquisa, ensino e consultoria voltados para a geração de consciência gastronômica respeitando toda cadeia produtiva desde a produção, colheita (agricultor familiar), comercialização (feiras, mercados e hipermercados), preparo (cozinheiros profissionais ou amadores) e o consumo (consumidor final).

MYRIAM MELCHIOR


É tecnóloga em Hotelaria e Turismo, psicóloga e mestre em Comunicação Social e Cultura pela UFRJ, doutora em Memória Social pela UNIRIO, professora e pesquisadora em hospitalidade, sociologia e cultura da alimentação brasileira no curso de bacharelado em Gastronomia na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

PAPOULA RIBEIRO


Nascida em SP, acumula mais de 20 anos de experiência nos diversos braços da panificação, desde a grande padaria tradicional do varejo alimentar até sua micro padaria artesanal atuando ao longo dos anos, como executiva, padeira, consultora ou professora. Formada na França pela renomada École LeNotre em 2003, tem também passagens em cursos e estágios na Europa e EUA. A produção de pães de qualidade com técnicas e ingredientes escolhidos cuidadosamente são marca de seu trabalho e estudo. A paixão pelo trabalho com pães começou em 1997 na gestão da central de pães de Olivier Anquier para o Grupo Pão De Açúcar. Em 2000 encabeçou a retomada da fabricação própria nas padarias dos supermercados Pão de Açúcar em todo país, ampliando a oferta de produtos frescos e de qualidade. Em 2013, depois de uma formação na Inglaterra, concretiza seu sonho de lançar uma micro padaria artesanal exclusivamente para a produção de pães artesanais de fermentação natural. Entre 2015 e 2017, chefiando a Padoca do Maní recebeu prêmios pela VejaSp, Prazeres da Mesa e palestrou em eventos de gastronomia no Brasil, e em 2018, deu uma aula, como única padeira brasileira, no congresso Identità Golose em Milão. Em 2019 abriu a Cor Bakehouse e no mesmo ano recebeu indicação na categoria Inauguração do Ano pela Veja SP. Desde o começo deste ano, Amoreira e Papoula, atraídas pela sinergia de seus públicos alvos e de suas fortalezas comuns, autenticidade e qualidade, costuram um projeto para em parceria, abrirem o Amoreira Café. O espaço dentro da loja trará ambiente e cardápio de comidas confortáveis. Com a pandemia, Papoula retomou naturalmente sua rotina de fazer pães em casa para sua família. As Lives e aulas via Instagram nasceram de forma orgânica e inspiraram o projeto em que está trabalhando de Curso On-line focado no resgate "do fazer pães em casa", abrangendo a fermentação natural e os pães tradicionais, com receitas de dia a dia.

PAULINA MATA


Licenciou-se em 1978 em Engenharia Química pelo Instituto Superior Técnico e concluiu o Doutoramento em Química Orgânica em 1989 na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT-UNL). Professora Auxiliar no Departamento de Química da FCT-UNL. Coordena o Mestrado em Ciências Gastronómicas, uma parceria da FCT-UNL e ISA-UL (Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa). Desenvolve investigação sobre aplicações tecnológicas da Gastronomia Molecular. Supervisiona ou supervisionou 4 estudantes de doutoramento, 33 de mestrado e 2 de pós-doutoramento. Autora do livro “Cozinha Modernista. História, Ingredientes e Receitas da Cozinha do Século XXI”, SENAC/Rio de Janeiro 2019 (em co-autoria com G. Abrantes) e de dois livros de divulgação científica: “Aprender Ciência de forma divertida e saborosa – Sugestões de experiências para fazer em família”, Ciência Viva, 2009 (com versão em inglês), e “A Cozinha é um Laboratório”, NOVA.FCT Editorial, 2017 (em co-autoria com M. Guerreiro). Participou em vários programas de TV, nomeadamente AB Ciência (Série de 13 programas de divulgação científica) – RTP1.

PAULO HENRIQUE MACHADO DE SOUSA


É professor do Curso de Gastronomia da Universidade Federal do Ceará, e professor e orientador do curso de Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal do Ceará e do Mestrado em Ciências Gastronômicas da Universidade Nova de Lisboa. É coordenador do Mestrado em Gastronomia da Universidade Federal do Ceará. Realizou o Pós-doutorado em Gastronomia Molecular na Universidade Nova de Lisboa. Concluiu o doutorado em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa. Atua nas áreas de Gastronomia e Desenvolvimento de Novos Produtos, com ênfase na utilização da Gastronomia Molecular e Análise Sensorial como ferramenta para o acompanhamento de produtos.

RAFAEL GURGEL


Professor do Curso de Bacharelado em Gastronomia da UFC, gastrônomo de formação e entusiasta da fermentação.

RAFAELA MEDEIROS


Cozinheira e pesquisadora de doçaria brasileira. Natural de Pedra Branca -CE, desenvolveu "O Leite de Pedra" com o intuito de homenagear sua cidade e as histórias doces de sua família, mas também, valorizar e fortalecer uma doçaria cearense. Foi uma das pesquisadoras do primeiro laboratório de criação em Gastronomia da escola Ivens Dias Branco.

RAQUEL SANTIAGO


Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Goiás (1994) e em Gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi (2015), Mestre em Ciências dos Alimentos pela Universidade de São Paulo (1998), Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (2002) e Pós Doutora pela Universidade de Londrina. Atualmente é professora Associada nível IV da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Goiás (FANUT- UFG). Coordena projetos em Alimentos, Biodiversidade, e Saúde Humana. Coordena o Centro de Ciência Culinárias da FANUT - UFG. É membro efetivo do BrasilFoods e Latinfoods. Tem experiência nas áreas Dietética, Ciência Culinária, Ciência dos Alimentos, Desenvolvimento de produtos, Biodiversidade Brasileira, Uso de subprodutos para Alimentação e Nutrição. Faz parte do Grupo de Estudos em Saúde planetária (IEA/USP).

RENATA BENDER MONTEIRO


Mestre em Ciências gastronômicas pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. Cake design fornada pela Escola de Educação Profissional da Pontinha em Portugal. Especialista em cozinha sem glúten pelo Icif Itália. Possui diversos cursos na área de gastronomia realizados na Associação dos cozinheiros Profissionais de Portugal, na escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa e Porto. Professora convidada na Associação dos cozinheiros Profissionais de Portugal. Ministra cursos na área de panificação e confeitaria inclusiva em escola do Brasil e Portugal. Foi uma das participantes do Masterchef Portugal 2015. Chef padeira da empresa Massa Mãe. Consultora na área de gastronomia sem glúten para empresas em desenvolvimento de produtos especializados.

RENATO BRASIL


É químico UFC, Mestre em Ciências Gastronômicas pela Universidade Nova de Lisboa, Professor Universitário Gastronomia UNICHRISTUS, Sommelier ABS – SP, atual diretor executivo da Associação Brasileira de Sommeliers, Colunista de vinhos do Jornal O POVO, consultor em vinhos, 3º lugar geral do Brasil no Concurso Brasileiro de Sommeliers – ABS – Brasil 2019.

RICARDO ELESBÃO


Graduado em Agronomia pelo CCA/UFPB (1989) e em Gastronomia pela Uninassau (2019), Mestre em Agronomia - Fisiologia Vegetal (1993) e Doutor em Ciência dos Alimentos - Fisiologia Pós-Colheita (1999) pela UFLA. Tem experiência na área de Ciências Agrárias e Ciência e Tecnologia de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: frutas tropicais, pós-colheita, valorização de recursos genéticos vegetais nativos e propriedades funcionais. Publicou mais de 220 artigos científicos em revistas nacionais e internacionais e participou como palestrante em mais de 100 eventos nacionais e internacionais. Foi Professor da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Trabalha na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desde 11/1994. Foi Pesquisador da Embrapa Agroindústria Tropical, de 1994-2011 e de 2015-2018, onde exerceu as funções de Assessor da Chefia Adjunto de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) e Chefe Adjunto de P&D Substituto de 01/2000 a 02/2004, e de Chefe Adjunto de P&D e Chefe Geral Substituto de 02/2004 a 03/2008. Foi Pesquisador da Secretaria de Relações Internacionais da Embrapa (SRI), responsável pela área de Biodiversidade: Novos Produtos e Compostos Bioativos lotado no Labex Estados Unidos, no Plant Bioactives & Bioprocessing Research Laboratory, Texas A&M University, de 11/2011 a 12/2014. Desde 11/2018 exerce a função de Chefe Adjunto de P&D&I da Embrapa Alimentos e Territórios. Atualmente é Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da UFPB; Presidente da Sociedade Brasileira de Fruticultura (SBF) e Diretor-Executivo da Interamerican Society For Tropical Horticulture (ISTH).

ROBÉRIO MARQUES


Formado em gastronomia, especialista em vigilância sanitária de alimentos e mestre em ciência e tecnologia de alimentos. Atualmente é professor universitário da UNIFAMETRO, instrutor e consultor do Senac/Ce. Atuação principal em planejamento e elaboração de cardápios, padronização de ficha técnica para gestão de A&B.

ROBERTO ARAÚJO


Licenciado em História, Bacharel em Gastronomia e Especialista em Gastronomia, Nutrição e Hospitalidade. Membro fundador do Observatório Cearense da Cultura Alimentar - OCCA.

ROBSON MOTA


Docente e pesquisador do curso de Gastronomia da UFC, e fotógrafo gastronômico.

SANDRO THOMAZ GOUVEIA


Possui graduação em Química pela Universidade Federal do Ceará(1992), mestrado em Química (Química Analítica) pela Universidade de São Paulo(1994) e doutorado em Química pela Universidade Federal de São Carlos(2000). Atualmente é Professor Adjunto I da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química Analítica. Atuando principalmente nos seguintes temas:Aquecimento por Infravermelho, Moagem criogênica, Preparo de amostra, Espectrometria de emissão atômica, Espectrometria de absorção atômica e Decomposição de amostra.

SEMIRAMIS MARTINS ÁLVARES DOMENE


Professora Associada Livre-Docente em Dietética do Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva, Instituto Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista. Nutricionista pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, tem mestrado e doutorado em Ciência da Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas e pós-doutorado em Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. É Editora Associada da Revista de Nutrição e da Revista de Saúde Pública. Integra o Grupo de Estudos Nutrição e Pobreza, do Instituto de Estudos Avançados - USP. É orientadora nos Programas de Pós-Graduação em Nutrição e Interdisciplinar em Ciências da Saúde, ambos da Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em dietética, micronutrientes e indicadores de qualidade da alimentação. Trabalha nas linhas de pesquisa Ciência de Alimentos e Saúde, e Estratégias interdisciplinares em promoção, prevenção e reabilitação em saúde. Professora Associada Livre-Docente em Dietética do Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva, Instituto Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista. Nutricionista pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, tem mestrado e doutorado em Ciência da Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas e pós-doutorado em Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. É Editora Associada da Revista de Nutrição e da Revista de Saúde Pública. Integra o Grupo de Estudos Nutrição e Pobreza, do Instituto de Estudos Avançados - USP. É orientadora nos Programas de Pós-Graduação em Nutrição e Interdisciplinar em Ciências da Saúde, ambos da Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em dietética, micronutrientes e indicadores de qualidade da alimentação. Trabalha nas linhas de pesquisa Ciência de Alimentos e Saúde, e Estratégias interdisciplinares em promoção, prevenção e reabilitação em saúde.

SIDIANA DA CONSOLAÇÃO FERREIRA DE MACÊDO


Professora Adjunta da Faculdade de História da Universidade Federal do Pará do Campus de Ananindeua. É autora do livro "Do que se come: uma história do abastecimento e da alimentação em Belém (1850-1900). É doutora em História Social da Amazônia, pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia da Universidade Federal do Pará com a tese intitulada "A cozinha mestiça. Uma história da alimentação em Belém. (Fins do século XIX a meados do século XX). Atualmente desenvolve o projeto de pesquisa intitulado "Os sabores da cidade práticas alimentares Mestiças em Belém 1850-1900". Desde 2016 atua como professora credenciada no Mestrado profissional de Ensino em História (Profhistória). É Historiadora da alimentação, líder do grupo de pesquisa Alere-Grupo de pesquisa da história da Alimentação e Abastecimento na Amazônia. Escritora no blog Daquilo que se come, desde 2009.

TERESA CORÇÃO


Foi chef proprietária do Restaurante O Navegador por 40 anos durante os quais fundou e o Instituto Maniva e grupo dos Ecochefs. É Embaixadora da Cozinha Brasileira no Senac RJ, foi palestrante no TEDX Campos e no TED GLOBAL - SOUTH, foi finalista do Basque Culinary World Prize 2016. É reconhecida como Chef ativista e conhecedora da Culinária brasileira, saudável e sustentável.

UIARA MARTINS


Graduada em Tecnologia em Hotelaria pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (2006). Mestre em Gestão e Planejamento em Turismo pela Universidade de Aveiro- Portugal (2009). Doutora em Turismo com ênfase em gastronomia pela Universidade de Aveiro (2016). Atualmente é professora no curso de Gastronomia do Centro Universitário Uninassau em Fortaleza. Coordena a Especialização em Gastronomia Brasileira na Uninassau Fortaleza. É também Avaliadora do MEC/INEP para o curso de Gastronomia. Tem experiência na área de Alimentos e Bebidas, Gestão em Gastronomia, Turismo Gastronômico, Turismo Cultural e Gastronomia Brasileira. Desenvolve pesquisas na área do Patrimônio Gastronômico, Culinária Típica Cearense, Gastronomia Brasileira e Turismo Cultural e Gastronômico.

VANESSA SANTOS


Trabalha na Gastronomia há 23 anos. Especialista em Gestão de Negócios Gastronômicos, foi proprietária do Capitão Mostarda, quatro vezes eleito pela Revista Veja o melhor da cidade em sua categoria. Atualmente é Consultora de Gastronomia do SENAC do Estado do Ceará, docente de curso superior de gastronomia em disciplinas de gestão, pesquisadora de cadeia produtiva e educação no OCCA – Observatório Cearense da Cultura Alimentar, membro do Fórum Nacional da Educação em Gastronomia, integrante do Movimento DOC – Denominação de Origem Cearense e, elaboradora do blog https://comidarjce.wordpress.com/author/comidarjce/, junto com o professor Gustavo Guterman.

VICENTE MONTEIRO DA SILVA FILHO


Possui Licenciatura em Química pelo IFCE. Foi cervejeiro artesanal autônomo e autodidata desde 2013, obteve estágio certificado na área de produção da cervejaria Lund (Ribeirão Preto), auxiliou o início das operações da cervejaria Uaimií (Belo Horizonte), se associou a Vândala (Produção de arte e cultura) e a Alquimista da Caatinga (Desenho de produtos do Bioma). Atualmente faz Pesquisa em cultura alimentar, fermentação, produção de bebidas alcoólicas e não alcoólicas.

VIRGÍLIO LOUREIRO


Nasceu em Coimbra, diz-se de Viseu, vive em Lisboa há meio século. Foi Regente Agrícola, Eng.º Agrónomo e Eng.º Biológico, mas queria ser médico. Doutorou-se em Microbiologia, orientado por médicos, e dedicou-se ao tema durante 42 anos, investigando e partilhando o que sabia com os seus alunos, no Instituto Superior de Agronomia. Está aposentado, com tempo para se dedicar à paixão que tem desde jovem: o vinho. Estuda-o em várias vertentes – da História à Geografia, do solo ao clima, da paisagem ao terror, da videira à vinha, do vinho à garrafa, da prova ao prazer – reconhecendo-o como símbolo maior da civilização mediterrânica.

VIRGÍNIA CÂNDIDA


É mineira, fundadora e mestre queijeira da Viveg Culturas Veganas e diretora da Viveg Escola de Queijos Veganos no Brasil. Possui formação acadêmica, graduação e mestrado em artes pela UFMG e formação técnica na área de laticínios pelo CTP e especialização em laticínios pela UFV. Virgínia aprendeu ainda na infância, com as mulheres da família, a arte e a ciência da produção do tradicional Queijo Minas, na pequena cidade de Jeceaba, no interior de Minas Gerais. Ao se tornar vegana desenvolveu uma grande diversidade de laticínios e queijos finos veganos, tornando-se a maior referência no Brasil e América Latina na produção e ensino de queijos veganos. Dedica sua vida, desde 2016, a ensinar e a difundir a cultura dos laticínios veganos no Brasil e no mundo, tendo participado dos principais eventos acadêmicos das áreas da Gastronomia, Cultura alimentar e Engenharia de alimentos.

WALISON ROGÉRIO


Professor Adjunto III do Curso de Bacharelado em Gastronomia da Universidade Federal da Bahia. Doutor em Sociedade e Cultura: História, Antropologia, Arte e Patrimônio âmbito de Antropologia Social pela Universitat de Barcelona - Espanha (2019). Mestre em Alimentos, Nutrição e Saúde pela Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia (2010). Graduado em Nutrição pelo Instituto de Biociências Unesp Botucatu (2005). Possui formação prática na área de Gastronomia com Curso de Cozinheiro Chef Internacional no SENAC/Águas de São Pedro/SP (2006), Certificado de Pâtisserie de Base de L'Ecole Le Cordon Bleu - Madrid (2016) e especialização em Panadería Artesana pelo Gremio de Panaderos de Barcelona - Espanha (2015). Realizou diversos cursos de Confeitaria em Escolas de Gastronomia e Artes Culinárias renomadas da França, Espanha e País Vasco. É avaliador de Cursos de Graduação em Gastronomia e em Nutrição do INEP-MEC e Avaliador ad hoc da Revista Arquivos Brasileiros de Alimentação (ABA-PE) e da Revista Brasileira de Gastronomia (RBG-SC). Atuou como Coordenador do Curso de Bacharelado em Gastronomia da UFBA no período de 02/2012 a 02/2014 (1 mandato) e atualmente é Chefe do Departamento de Ciência dos Alimentos da Escola de Nutrição da UFBA (período 08/2018 a 08/2020).

INSCRIÇÕES

home_vegetables_pricingbox3

Estudantes de
Pós-Graduação

R$100

home_vegetables_pricingbox1

Minicursos

R$50



A categoria de estudante, deverá ser comprovada mediante apresentação de declaração da instituição de ensino, a qual o mesmo está matriculado.

A participação online dará direito a submissão de trabalho científico e certificado de participação.

POLÍTICA DE CANCELAMENTO E TROCA DE TITULARIDADE

- Trocas de titularidade poderão ser realizadas pelo titular da inscrição ; basta enviar um e-mail para: kassio@ideiadeevento.com.br com até 15 uteis de antecedência ao evento.

- Cancelamento: o cancelamento poderá ser feito em até 7 dias da realização da inscrição e deverá ser solicitado por e-mail (kassio@ideiadeevento.com.br). Será deduzido o percentual de 15% referente a taxas administrativas de cartão e sistema online. O reembolso se dará em até 30 dias após a realização do evento.

Congresso Brasileiro de Inovação e Tecnologia na Gastronomia e Ciência de Alimentos

REALIZAÇÃO:

Universidade Federal do Ceará
Associação dos Chefs de Cozinha - Ceará

ORGANIZAÇÃO:
Ideia de Evento
APOIO:
Senac
PATROCÍNIO:
Sebrae
logo CBG

Acesse a trasmissão do Congresso